Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sam ao Luar

Sam ao Luar

26
Abr22

25 de Abril para sempre

com restrições...

Sam ao Luar

Correndo o risco de parecer o velho do Restelo, e sem desfazer tudo aquilo que foi conquistado pela população de Abril (à qual eu estou grata) hoje em dia não somos verdadeiramente livres. A liberdade deste século é uma "pseudo-liberdade" na qual achamos que somos livres, sem o ser, estando amarrados por uma sociedade critica, malévola, caprichosa, com uma educação desatenta e despreocupada dos seus jovens, contrastante com uma educação rígida e castradora dos seus pais.

- não somos livres para dizer o que pensamos: se somos francos e honestos temos mau feitio, se não dizemos nada não temos opiniões, de sabemos o que dizemos temos a mania, se não sabemos o que dizer não ajudamos em nada

- não somos livres de ter o corpo que queremos: se somos fofinhos somos gordos, se somos magros estamos doentes, se somos musculados somos demasiado masculinos, se somos flácidos não estamos em forma

- não podemos publicar o que nos apetece: se colocamos frases motivadoras temos a mania que somos zen, se publicamos frases menos motivadoras somos o anti-cristo, se publicamos fotos felizes queremos esconder a desgraça, se publicamos fotos tristes temos a mania que estamos deprimidos

- não podemos simplesmente fazer o nosso trabalho: se trabalhamos bem temos que trabalhar mais, se trabalhamos menos bem temos que trabalhar mais, se falamos temos que falar menos e trabalhar mais, se não falamos não somos pró-ativos e temos que trabalhar mais

- se estamos bem não podemos estar, se estamos mal não podemos estar

- se ajudamos (ou tentamos) nunca é o suficiente, se não ajudamos não fazemos nada bem

É cansativo ter que agradar a todos. E mesmo assim, se agradamos a todos somos falsos, se não agradamos a todos somos trastes. Mas na generalidade, melhor agora que antes do 25 de Abril.

21
Abr22

Isto não é material de blog... é tese de doutoramento!

Sam ao Luar

Isto não é material de Blog, é material de livro, quiçá tese de doutoramento.

Contexto: aluno de 5o ano, estuda a reprodução nos animais.

Pergunta: com base no texto, descreve o comportamento do macho durante a parada nupcial.

Resposta: o macho fica com comportamentos estranhos.

 

Juro que não consigo considerar errado. Quem NUNCA viu um macho de qualquer espécie, incluindo a humana, neste contexto ou noutro, qualquer outro!, com comportamentos estranhos, que atire a primeira pedra/comentário. Estranho é eufemismo. Digno de ser narrado por David Attenborough em qualquer episódio de National Geographic: Strange Homo sapiens (que afinal nada sapie...). A fêmea é complicada. O macho é estranho. Meus amigos: é a fêmea que escolhe o macho. Independentemente do comportamento estranho e da fé que o macho nele deposite. É o mais apto que sobrevive e se reproduz. Foi mestre Darwin que disse. Não fui eu...

07
Abr22

52 semanas de 2022 - 8 factos sobre mim

Sou Touro e mais 7

Sam ao Luar

Facto 1: Sou Touro com ascendente em Virgem. Sou também cientista e era suposto não ter qualquer crença nestas coisas. No entanto, as coincidências são demasiadas para achar que são só coincidências. Assim, tenho em mim os 7 pecados mortais. Gostaria de dizer que, por isso, vou direta para o Inferno, mas... pasme-se! Sou também professora, portanto, tenho lugar cativo e reservado no Céu. Acho que vou alternando consoante as estações...

Facto 2: A Gula - "Coisas que aprecia: todo o tipo de conforto, incluindo boa comida..." #eumalhopracomer

Facto 3: A Avareza - "Os sentimentos que melhor o descrevem são o sentimento de posse e os ciúmes... pode ser excessivamente possessivo com pessoas e haveres..." #étudomeu

Facto 4: A Inveja - "A sombra de Touro incorpora o lado desagradável de Escorpião: venialidade, inveja, ciúme e ressentimento..." #ladolunar

Facto 5: A Ira - "... esconde um temperamento colérico, pronto para explodir quando o sentimento de propriedade do Touro é ameaçado... é uma fúria que leva tempo a amainar..." #mainada

Facto 6: A Luxúria - "... é um hedonista que desfruta em pleno a sua sensualidade..." #ohyeah 

Facto 7: A Preguiça - não está escrito em lado nenhum, mas o meu companheiro costuma dizer que eu tenho que dormir as 8h necessárias para ser "aturável" #naometoquesedeixamedormir

Facto 8: A Soberba - apesar de tudo, tenho muito orgulho naquilo que sou e no que me tornei. #fim

 

Desafio de Escrita - 52 semanas de 2022

Também participam neste desafio: A Introvertida, Ana do Green Ideas, Anita Não se Cansa disto, Bruno no Fumo do seu Cigarro, Carlos Palmito, Cristina Aveiro, Di a Mulher, Fátima Bento, Isabel M Silva, João-Afonso Machado, José da Xã, Maria Araújo, Maria do Abrigo das Letras, Olga Cardoso Pires, Purpurina

02
Abr22

52 semanas de 2022 - formas de ganhar o meu coração

Sam ao Luar

Sinto que a minha vida está em banho-maria. Aquece mas não entra em ebulição. E, no entanto, parece uma montanha-russa de sentimentos: ora vai acima muito devagarinho, chega lá acima no pico da emoção, e depois vem cá para baixo a toda a velocidade. Pensamento positivo: a viagem costuma ser curta.

Posto isto, gostaria de fazer um daqueles textos giros em que a malta se ri à fartazana dizendo que uma das formas de ganhar o meu coração é fazerem-me o jantar e arrumarem-me a cozinha depois de um dia de trabalho. Na realidade, é mesmo. Isso e uma massagem nos gémeos depois de uma corrida!!!

Mas nesta montanha-russa de emoções, com uma taça de chocolate em banho-maria que tem sido a minha vida nos últimos dias, aprendi formas alternativas e muito mais eficazes de ganhar o meu coração. Uma delas foi ouvir o "estou muito orgulhoso de ti". Algo que nunca tinha ouvido em quase 40 anos de "carreira" neste mundo. Fiz sempre tudo porque era a minha obrigação. Fui assim ensinada. E, de preferência a ser a melhor. Porque nunca devemos comparar-nos com quem está abaixo mas sim com quem é melhor. Portanto, fui buscando sempre, em tudo o que fui fazendo, uma razão para que me dissessem tais palavras... que nunca cheguei a ouvir.

Recebi também "obrigados" sentidos. Por coisas pequenas, que não me custaram dizer ou fazer, porque eu sabia que era isso que me competia dizer ou fazer. Mas efetivamente sentir que fiz a diferença, por mais pequena que fosse, e ouvir um "obrigado" fez com que aquela pessoa ganhasse também um pedaço do meu coração.

Aquele valente abraço... Aquele obrigado por me aturares... Aquele agora vais ter que levar comigo... É um prazer.

Eu sei que o que está mal sou eu: nunca me ensinaram a sentir e a expressar emoções. Nunca me deram abertura para isso. Habituei-me a ser uma máquina fria. Não sei manifestar carinho, não sei lidar com elogios e obrigados e com pessoas que, efetivamente, querem estar na minha companhia. Desconfio e parece-me tudo mentira. Tenho medo de que seja mais um engodo da vida. 

 

 

Desafio de Escrita - 52 semanas de 2022

Também participam neste desafio: A Introvertida, Ana do Green Ideas, Anita Não se Cansa disto, Bruno no Fumo do seu Cigarro, Carlos Palmito, Cristina Aveiro, Di a Mulher, Fátima Bento, Isabel M Silva, João-Afonso Machado, José da Xã, Maria Araújo, Maria do Abrigo das Letras, Olga Cardoso Pires, Purpurina

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub